DEFICIÊNCIA AUDITIVA

14/03/2012 11:13

 

O termo deficiente auditivo tem sido largamente utilizado por profissionais ligados à educação dos surdos. O uso da expressão deficiente auditivo, já foi muito criticado refletindo uma visão médico-organicista. Nela, o surdo é visto como portador de uma patologia localizada, uma deficiência que precisa ser tratada, para que seus efeitos sejam debelados.

Alguns fatores podem afetar o processo de aprendizagem de pessoas surdas, como por exemplo: o período em que os pais reconhecem a perda auditiva, o envolvimento dos pais na educação das crianças, os problemas físicos associados, os encaminhamentos feitos, o tipo de atendimento realizado, entre outros.

Embora os aspectos médico, individual e familiar ampliem o universo de análise sobre o fenômeno, nos chama a atenção para a necessidade de vê-los sob uma perspectiva sócio - cultural.

Todas as investigações atuais têm chamado a atenção para a multi-determinação da surdez e para a adequação do emprego do termo surdo, uma vez que é esta a expressão utilizada pelo surdo, para se referir a si mesmo e aos seus iguais. É muito importante considerar que o surdo difere do ouvinte, não apenas porque não ouve, mas porque desenvolve potencialidades psico - culturais próprias. Somos todos pessoas diferentes.

Pesquisar no site

Contato

MOVIMENTO LIBRAS - CURSOS DE LIBRAS PARA EMPRESAS ESCOLAS E IGREJAS - MÓDULOS (BÁSICO, INTERMEDIÁRIO E AVANÇADO) UM CURSO PRÁTICO E DINÂMICO TODOS COM CERTIFICADO - ADEQUAÇÃO DO AMBIENTE DE TRABALHO, TREINAMENTO DE PESSOAL ... SÃO PAULO/SP - CAPITAL
www.facebook.com/vagnermovimentolibrasII
VAGNER E BETH
Diretores